terça-feira, 2 de setembro de 2008

Confissões de um tarja preta

Estou bem, apesar de estressado e com muitas coisas para fazer. Como um esfarrapado emocional retomei meu caminho. E hoje posso dizer que , realmente, conheço a solidão. Alguns podem achar que estou me lamentando, mas o tom que uso aqui é outro, meio nostálgico, reflexivo, produtivo. Sozinho percebo-me integralmente com uma clareza cristalina. Surpreendo-me com insights que surgem nas mais variadas situações.
Claro que não quero ficar sozinho ad eternum. É só uma fase necessária para me recompor de um relacionamento catastrófico de 3 anos. Bons momentos tivemos, mas foram diluídos por todo o lado sombrio que conheci. Certa vez, ele me disse que era minha sombra. Então pensei: a sombra sempre está lá , mas na maior parte do tempo a negligenciamos. Foi o que fiz com o ser em questão. Vivi minha dose de escuridão, mas ouvi uma voz amiga dizendo: Volte para luz.
Hoje , aprecio a liberdade com um sabor de possibilidades . Estou safo, mais exigente, mais tranquilo.
Por outro lado, minha vida monástica não pode durar muito tempo, né? Acho que nem sei como chegar junto . Se é que algum dia eu tenha sabido. rs.
Confesso aqui um caso de dopping. Toda esta tranquilidade não é assim tão espontânea. Já que herdei um passado psiquiátrico nos 2 troncos da família. Por isto uso um antideprê. Sim , minha felicidade é artificial. Mas não deixa de ser uma felicidade, né? Quando falo isto as pessoas meio que ficam com pena. Não é por aí. O antideprê te ajuda a lembrar o que é não estar deprimido. Daí pra frente a responsa é sua. E é o que estou tentando fazer. Só que agora estou ficando ansioso , estressado . Será que agora eu preciso de uma bandinha de LEXOTAN?

2 comentários:

ritainhanha disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
mariposos disse...

confissões de um tarja preta é ótimo , adorei, amigo não estou aqui para criticar .. afinal cada é cada um mas uma coisa posso te dizer já fui assim, mas euzinho dei um basta em tudo isso e hoje posso falar que sou feliz ....

abraços